Até sempre Franca

17:38

Uma das figuras mais influentes no mundo da Moda, comandou desde 1988 a edição italiana da Vogue. Deu início a uma nova era de inovação, criatividade e modernidade que mudaram o rumo da publicação.



Coragem é, provavelmente, a palavra que melhor descreve Franca Sozzani. Sem medo abordou questões sociais numa revista de Moda, que outrora era apenas um catálogo de marcas, defendeu as bloggers de Moda, trouxe modelos negras para a capa da versão italiana da Vogue e foi a primeira a colocar Kim Kardashian no mundo Vogue. Mesmo em período de crise para as publicações impressas, Sozzani conseguiu que a revista mantivesse as suas vendas.

Ajudou a pôr Milão no mapa mundo, tornou uma cidade industrial num referência do mundo da Moda. Nasceu em Mantua e estudou literatura e filosofia na Universidade de Milão. Iniciou a sua carreira na Vogue Bambini como assistente da assistente da assistente. Antes de chegar à Vogue passou por mais duas revistas: Lei e Per Lui. Regressou à Vogue no ano de 1988 para se tornar diretora da mesma.




Ainda em vida, o filho Francesco Carrozzini decide homenagear a sua mãe através de um documentário, Franca: Chaos and Creation, que analisa o trabalho de Sozzani, que já colaborou com artistas como Lana Del Rey, Beyoncé ou Lenny Kravitz, por exemplo. No documentário, que teve a sua estreia no festival de cinema de Veneza, designers como  Valentino Garavani, Karl Lagerfeld, Azzedine Alaia, Donatella Versace, fotógrafos como Bruce Weber, Peter Lindbergh e Paolo Roversi e artistas e amantes de Moda como Daphne Guiness, Courtney Love ou Noami Campbell fazem parte do elenco.

Anna Wintour, diretora da edição pioneira da Vogue, presta homenagem a Franca através de uma carta aberta no site da publicação americana. Entre muitas qualidades Wintour escreveu: "Franca Sozzani era muito mais do que uma jornalista de moda. Ela conhecia e sabia interpretar e antecipar tendências". 





You Might Also Like

0 comentários

Instagram

Pinterest

Facebook Page

A Fox Life recomenda