VILA REAL



Só agora é que escrevo sobre ela. 



Não me atrevi a escrever mais cedo porque não sabia no que ia dar. Estava às escuras. Apareceu a luz. Agora sei que tão cedo não quero deixar a Bila. Não é a melhor cidade do mundo, mas  é aquela que me acolheu. Por falar em 'acolhimento' não poderia deixar de referir todos aqueles que estão e ainda estarão pelo menos até ao final deste ano lectivo. Eles acolheram-me mesmo com aquele ar de emproados e de reles que transmitiram nas primeiras semanas. Falo dos praxadores. Aos finalistas, decidi chamar-lhes assim, que não me praxaram e mesmo assim me acolheram, adoro-os, quer dizer adoro-as. E é devido a esta aproximação com os mais velhos que cada vez me sinto mais em casa. Agora a parte difícil não é o domingo. É a sexta. Saber que tenho de fazer a mala e voltar à terrinha, são só dois dias, mas fazer a mala, desfazer, descer e subir Marão, é tudo aquilo que menos quero, mas tem de ser. 
Não podem faltar os meus colegas de turma que são os melhores que poderia ter. 
A cidade é linda e sei que ainda tenho muito para descobrir e acredito que nos próximos anos irei descobrir tudo aquilo que tenho para descobrir. 

Ficam algumas fotografias destes primeiros tempos.













Rui

Instagram